D. B.

Share your story

2012 Brazil

A experiência foi sem dúvida a mais delicada, triste e difícil que já passei em minha vida. Estava em um namoro aparentemente sólido a aproximadamente 1 ano e meio, e numa dessas brigas de casal acabando por fazer as pazes no motel. E transamos sem camisinha. Sempre fui precavida com anticoncepcionais desde nova por suspeita de ovários policísticos e menstruação desregular, mas engravidei nesse dia. Viajamos no fim do ano e durante toda a viagem senti meu corpo, paladar e emocional diferentes. Meu olfato ficou extremamente sensível, inclusive parei de fumar nesses dias pois estava me tendo enjôos e ânsia de vômitos. Algo me dizia que eu estava grávida. Tava completamente estranha, inchada, sem fome, com mais sono que o habitual. Dias depois realizei um teste de gravidez desses de farmácia, e o o resultado foi positivo. Tive um início de sangramento e até pensei que fosse um aborto espontâneo. Imediatamente fui fazer o exame BETA e o resultado mais uma vez foi positivo. Meu mundo parecia desabar naquela hora. Eu não conseguia fazer nada a não ser chorar. Chorava o dia todo. Passava um filme na minha cabeça 24hs por dia. Tentava meu imaginar com 23 anos, mãe. Não me sentia confortável com a idéia. Imaginava a alegria dos meus pais (por eu já ter perdido uma irmã) e sogros com a notícia, mas eu não estava feliz. E eu sabia que estava sozinha nessa. A decisão final era minha. Meu companheiro foi contra a decisão de paralisar a gestação, pois tínhamos planos de um futuro juntos (com filhos), nos amávamos e tudo mais, mas nossa condição financeira no momento não era nem um pouco favorável, e eu ainda estava finalizando a faculdade, sem trabalhar, e não conseguia cogitar a possibilidade de trazer ao mundo uma criança nessas condições. Ninguém vive só de amor. Eu queria proporcionar o melhor. Melhor escola, melhor casa, melhores roupas. Não era nosso realidade no momento. Então, lembrei de uma amiga que já havia abortado e solicitado os comprimidos através do WoW, e depois de muita conversa com meu namorado, dúvidas, chororô e noites em claro, decidi com muita dificuldade pelo aborto. Eu não via outra saída. Pedimos o remédio, e a espera foi longa. Parecia não ter fim. E eu lutava contra o tempo pois já estava com mais de 2 meses. Os comprimidos chegaram quase nos 45 min do 2º tempo. Li bastante sobre os sintomas e riscos de tal decisão. Ao mesmo tempo olhava ao meu redor e via tanta gente atrapalhada tendo filhos de qualquer forma, sem estrutura emocional/financeira. Não foi fácil. Continua não sendo fácil. Então, reservamos uma diária num hotel para realizarmos todo o procedimento sem o risco de algum familiar descobrir. Lembro como se fosse ontem a força bruta das cólicas, dos calafrios, da febre, da pressão baixa, as diarréias, e daquele tanto de sangue que saía de mim sem parar e eu evitava olhar. Passei quase todo o tempo sofrendo, gemendo e chorando em silêncio e de forma serena, pedindo perdão a Deus e aquele espírito por tal gesto. Deu tudo certo. O que eu queria pausar, se concretizou. Por medo, eu demorei mais de um ano para retornar ao ginecologista pra saber se houve algum tipo de sequela comigo ou algo do tipo. Felizmente descobri que estou bem. Meus orgãos funcionam bem. Sou fértil. Meu relacionamento ainda se estendeu por uns anos. Nossos planos de uma vida juntos continuaram. Planos de filhos, morar juntos, e etc. Motivos diversos nos fizeram terminar, mas a minha decisão de ter abortado há 2 anos e de ter cessado sonho dele de ser pai, ressurgiram com força e julgamento total nesse rompimento. Eu sabia que isso podia acontecer. Assumi o risco desde o começo. Para mim, restou levar a vida com aquele pensamento: "e se..." e uma esperança de um dia poder realizar o sonho de ser mãe, porém em condições e planejamento melhores. Aborto é realmente algo muito complexo pra se vivenciar e guardar entre 7 chaves. São muitos dedos apontados, muitos julgamentos, muita sensação de culpa, muita raiva, ódio, e pouca compreensão e respeito. Mas nós mulheres, de forma às vezes surpreendente, temos sempre um lado fênix que renasce das cinzas...a vida segue!

Did the illegality of your abortion affect your feelings?

Incomodada por estar fazendo algo que não diz respeito ao Estado e a mais ninguém.

How did other people react to your abortion?

A única pessoa que soube e acompanhou de perto minha decisão de abortar foi meu namorado na época, e pai do bebê. Não tive coragem nem vontade de contar pra ninguém.

Sailor Moon

1. Powody decyzji i dlaczego dziewczyny w mojej sytuacji nie powinny sie czuć…

Mariana

Esta es mi historia: Tengo 35 años y 3 hijos, dos nenas y un varón de 6, 3 y 1…

Raqueli

misto de melancolia e alívio

Adriana Reyes

Hola mi nombre es Adriana tengo 22 años y soy estudiante de Pedagogía; quisiera…

Suzanne

I made the best decision for me

chanel

I did it because as a female that is my right to control my body no man or…

Andrea

Todo va a pasar, hace apenas 72 hs que termino pero se me han hecho eternas, se…

Laura Helena

Olá meninas , me chamo Laura , tenho 21 anos ,uma filha linda de 2 aninhos e…

Samanta

Uma escolha difícil.

Aldana

Una decisión que se tiñe de lucha

Adhi

Saya masih duduk di kelas 3 SMA saat melakukan aborsi. Saya sudah pacaran…

Luiza N.

Minha história foi completamente diferente de tudo que li aqui no site…

Ididit

Miałam aborcję wykonaną farmakologicznymi środkami otrzymanymi od Fundacji…

Luka

Hice lo mejor que pude, estando bajo toda la presión del mundo.

E.

Decyzja o aborcji była najcięższą do tej pory..

Charlotte Sigler

I had an abortion

Ana

El día de ayer aborté

Kiara

Lo hice por amor al bebé, no me merecía como mamá.

Grace

12 Weeks 2 Days Medical Abortion Experience