Clarice

Share your story

Sempre fui a favor do aborto, não por uma questão feminista, mas por acreditar que o livre arbítrio existe para que cada um seja dono de suas próprias escolhas.
Tive um "casinho" com um cara do meu trabalho. Ficamos algumas vezes e na última vez acabamos indo para um motel.
Eu não tomo anticoncepcional há algum tempo e não usamos camisinha na hora da empolgação, o que me fez tomar a pílula do dia seguinte em questão de horas depois da última relação.
Jamais achei que engravidaria, mas quase 1 mês depois eu já notava que estava frequentemente enjoada, com dor nos seios e me sentindo cansada pra caramba. Fui ao hospital e passei direto com um ginecologista e obstreta porque a menstruação estava atrasada. Fiz exame de urina e estava completamente tranquila, até que o resultado foi positivo para gravidez e o meu mundo desabou.
Confiei na eficácia da pílula do dia seguinte, que foi um grande erro. Não ter usado camisinha e não tomar anticoncepcional foi outro.
Enfim, nunca tive o desejo de ser mãe, ainda mais nas circunstâncias atuais: sou solteira, não tinha um relacionamento estável com o cara (o qual mostrou-se um grande babaca depois, deixando claro que queria apenas sexo e nada mais) e estou em um momento importante da minha carreira, com projetos grandes que tomam muito o meu tempo e energia.
Nunca tive dúvidas de que precisava fazer um aborto, mesmo sabendo que aqui no Brasil é crime e que a grande maioria das pessoas não são capazes de entender uma mulher que não deseja ser mãe e prefere interromper a gravidez.
Apenas minha mãe, minha irmã, meu terapeuta, minha melhor amiga e um amigo souberam. Minha mãe e minha irmã deixaram claro que não concordavam, mas respeitaram a minha decisão. Inclusive, minha irmã que me ajudou a encontrar o Cytotec, o qual eu achei somente depois de levar um golpe (comprei com um cara na internet que nunca me mandou o medicamento). Depois, minha irmã achou o contato de uma mulher pelo facebook e aí encontramos com ela para buscar. Gastei uma boa grana com isso e acho uma pena que no Brasil tenha que ser assim. Senti na pele a angústia de ter que lidar com um acontecimento que você não quer e que tentou evitar, mas isso durou poucos dias.
Tomei primeiro 4 comprimidos e depois de 2 horas tomei mais 2, estava de 7 semanas, quase 8. Todos foram tomados de forma sublingual. Em questão de 1 hora e meia depois da primeira dose, já tive sangramento.
Senti muita dor, tive contração, muita cólica e um pouco de febre, mas foi suportável. O cara não sabe até hoje que eu fiquei grávida e muito menos que abortei, mas sei que se soubesse, apoiaria o aborto. A questão é que eu não precisava de absolutamente nada dele e seria igual se decidisse ter o filho.
Enfim, 1 semana depois eu fui ao médico e disse que estava com sangramento. Fiz exame e foi considerado que eu tive um aborto espontâneo.
O que eu falo para quem está nessa situação é que não está sozinha. Não importa o que a maioria pense ou fale, o corpo é seu, é sua vida, sua decisão. Um filho não é brincadeira, é uma responsabilidade para a vida toda. Acho que crime é levar adiante uma gestação sem ter vontade e sem sentir amor pela criança. Se for para ser assim, acho mesmo que o aborto é totalmente válido, porque nada pode ser pior que ser indesejado pela própria mãe.
Outra coisa, quanto menos pessoas souberem, melhor. Porém, é fundamental que você tenha pelo menos alguém com quem possa contar, porque apoio ajuda e muito nesse momento delicado.
Se houvesse uma forma segura de eu passar meu contato para ajudar as mulheres que passam por isso, eu não pensaria duas vezes porque sei o quanto é angustiante.
Enfim, faz menos de 2 semanas que realizei o aborto e não me arrependo, mesmo ouvindo da minha própria mãe que "isso é horrível, você é cruel, não sei como não sente remorso", entre outros tantos julgamentos. Minha resposta é sempre a mesma: fiz o que era melhor para mim. Meu corpo, minha vida.
Força para vocês e não se esqueçam: você não está sozinha.

2015 Brazil

No começo eu senti culpa e cheguei a ter a sensação de que eu era uma criminosa, um monstro. Depois entendi que esses sentimentos não são meus e sim de uma sociedade machista e moralista, com a qual eu não me identifico.

Mais tranquila do que eu pensava. Os sintomas foram suportáveis e o método foi eficaz.

Nunca senti vontade de ser mãe.

Did the illegality of your abortion affect your feelings?

Sim. É horrível fazer algo que você considera normal enquanto o resto do mundo enxerga como um crime.

How did other people react to your abortion?

Poucas souberam e a maioria foi contra.

Juliana

Quero tranquilizar vocês, descobri minha gravidez no dia 1º de dezembro de 2019

Ale

Sin remordimientos

diana

naprawde nie miałam wyjścia jestem miesiąc po,nie bolało szczerze mówiąc…

Ana Luiza

A ironia entre abortar e renascer.

Fabiana

Sou advogada, tenho 40 anos 2 filhas adultas e uma vida estável e feliz.

Sempre…

Maria Madalena

Fiz um aborto e me sinto muito, muito aliviada!!!

Samantha

Grow Yourself, Before You Grow a Baby.

Lucie

I had more than one abortions. I made the choices because I care about the…

Bom foi uma decisão bem complicada, porque eu nunca pensei em fazer isso. Eu…

Lily

I had a medical abortion (the pill) with BPAS when I was just shy of 8 weeks.

Raquel Monterrey

I spoke with the spirit of my child before my abortion. That spirit who was…

Nami Tibbers

Não vi outra opção. Então tomei coragem e optei por um aborto.

Luna

Deu tudo certo.

Barbara

estou entre os 10% a 15% de falha do dia d

sorrow

Najtragiczniejsze doświadczenie w życiu...


Po prawie dziesięciu miesiącach od…

Jos

Era lo mejor

O.N.A

Wieść o ciąży była dla mnie szokiem, ale mogłam się jej spodziewać bo niestety…

Javiera

Yo aborte en Chile, en pandemia gracias a Wow